Confie em mim (Harlan Cobens)

“Até onde você iria por amor à sua família?”

Pra começar, comprei este livro em uma promoção da Americanas (loja física), já ouvi falar desse autor como um dos autores de suspense, que vem lotando as prateleiras das principais livrarias do país. E ainda comprei numa época que precisava de livros "leves" (chamo de fase) e já ouvi enormes elogios por parte da crítica e dos leitores, pois bem, li no ano passado e agora resolvi compartilhar a vocês que nunca leram uma obra dele ou que, já ouviu falar e quer saber se é bom ou não…

Nas ruas de um bairro suburbano de classe média-alta de Livingston, quem passa por lá depara-se com várias casas, bem cuidadas, iluminadas, com famílias vivendo felizes com seus filhos estudando em escolas particulares e pais trabalhando para sustentarem a eles mesmos. Mas nem tudo são flores: Cada uma dessas famílias sempre tem as suas tragédias em particular.

Os primeiros de muitos personagens, são Mike e Tia Baye, preocupados com a distância repentina do seu filho Adam, que está sofrendo com o suicídio de seu melhor amigo Spencer Hill, decidem instalar um programa de espionagem no computador do rapaz, mesmo que se sintam culpados por isso…

Os primeiros relatórios saíram tranquilos, porém quando parece estar tudo bem, surge um detalhe a mais nas mensagens de Adam: “Fica de bico calado que a gente se safa”.

Na vizinhança, Betsy Hill, mãe de Spencer, que se sente culpada de não ter percebido as mudanças no comportamento do filho e não ter feito nada quanto a isso, encontra uma foto que levanta mais suspeitas de sua morte, que se suicidou repentinamente e sem explicações. Ele não estava sozinho naquela noite. Era suicídio mesmo?

Enquanto isso, Adam combina, mesmo que relutantemente, de marcar um encontro com o seu pai para assistir um jogo, desparece misteriosamente num minuto de distração. Ao sentir que ele estava correndo perigo, não mede esforços para encontrá-lo.

Ainda na vizinhança, Guy Novak, pai exemplar cria sozinho de Yasmin, mas não consegue impedir que um infeliz comentário do professor de sua filha torne a vida da pequena num inferno.

E Lucas Loriman, gravemente doente e na fila de um transplante de rim, é filho de Susan, que esconde um devastador segredo que pode arruinar a família.

E mais: quando vem á tona o assassinato de duas mulheres, inicia uma avalanche de acontecimentos que faz com que a vida de cada um desses personagens se cruzem, inesperadamente, de forma trágica e violenta.

Agora, minhas impressões quanto ao rumo da história: é impressionante a forma de como se interligam os personagens, que na primeira vez, são numerosos e demorou para saber o nome de cada um deles e ligar numa história, mesmo de fácil memorização. A narração de Coben é direta e te seduz até o final e ele, de vez em quando, consegue lembrar o Sidney Sheldon... Gostei bastante e o livro é curto (316p) se comparar com outros livros policiais...

Única coisa que me marcou, foi a questão da confiança entre os membros da família, e que reflete bem em nossas vidas. Essa foi a frase do livro que me marcou e até grifei com marca texto:
"A confiança é assim. Podemos quebrá-la pelos melhores motivos do mundo, mas ela permanecerá quebrada para sempre".

Recomendo para fãs de suspense! E Harlan Coben se destacou como um dos melhores autores de thriller, com sua narrativa capaz de prender leitores até o fim! É uma pena que acaba tão rápido a ponto de querer ler mais dele. Sorte que ele é uma máquina de escrever.

(COBEN, Harlan. Confie em mim. Editora Sextante Ficção, Rio de Janeiro, 2009; 316p. Hold Tight)

Matéria escrita pelo colaborador Nikolas Alvarenga.

12/11/2012

Gostou? Compartilhe!