Ela (2013)

Título original: "Her"

Poster Sinopse:

Um escritor solitário desenvolve uma relação improvável com o seu sistema operacional, projetado para atender suas necessidades.

Escrito e dirigido por: Spike Jonze
Elenco: Joaquin Phoenix, Amy Adams, Scarlett Johansson, Olivia Wilde e Rooney Mara
Duração: 126 minutos
Gênero: Drama | Romance

Em 2009, Spike Jonze nos presenteou com uma das mais belas representações da transição da infância para a juventude já mostradas no cinema. Em Onde vivem os monstros, adaptação do livro de Maurice Sendak, acompanhamos a angústia e a tristeza do pequeno Max ao perceber que ele não é mais o mesmo menino de antes. Presenciamos suas dúvidas, sentimos seu medo, compreendemos seus monstros. Entendemos, enfim, que chega uma hora em que as coisas têm de mudar, que nossos atos não podem ser como os de antes e que, infelizmente, o encanto da infância precisa terminar. Cinco anos depois, o diretor retorna às telas com Her, longa que, de certo modo, dá continuidade ao processo evolutivo iniciado com Max. Aqui, somos apresentados ao solitário Theodore, um escritor recém-separado incapaz de seguir em frente sem carregar consigo as lembranças da relação com sua ex-esposa. Ao conhecer Samantha, um sistema operacional de última geração provido de personalidade e capaz de gerenciar todos os compromissos de seu portador, ele encontra seu par ideal. Alguém invisível, intocável e que atende perfeitamente os seus requisitos. Samantha se torna para ele a “mulher dos sonhos”.

Her

Em um tempo em que tudo pode ser resolvido à frente de uma tela ou através de uma ligação telefônica, o contato humano se tornou desnecessário e, com isso, muitos perderam a capacidade do toque, de expressar aquilo que sentem e de compreender as particularidades que fazem de cada pessoa um ser único. Neste contexto, Her encontra sua relevância ao explorar não a relação homem x máquina, mas os motivos que nos fazem, mesmo diante de tantos facilitadores eletrônicos, preservar o contato e a afetividade por nossos semelhantes. Motivos que nos levam a insistir em um convívio que nem sempre nos coloca onde queremos, que exige que saibamos abdicar de muitas de nossas vontades a fim de agradar também a quem está ao nosso lado. Convívio este que, para muitos, não é tão simples quanto parece. E é com extrema sensibilidade que Spike Jonze trabalha essas questões.

Her

Her é sobre a solidão causada pelo próprio solitário. Theodore é a personificação de um homem que vê na tecnologia formas de explicitar o que ele não seria capaz de dizer com sua própria voz. É, assim como o Max de Onde vivem os monstros, alguém que vive no hoje uma realidade muito distante daquela no qual ele poderia se considerar realmente feliz. Acreditando na impossibilidade de experimentar uma nova felicidade no futuro, fechar-se para si torna-se uma forma de manter vivos os tantos momentos que o fazem ter vontade de voltar no tempo. E isso, acreditem, é totalmente compreensível.

17/02/2014

Her estreou no Brasil na última sexta-feira, dia 14 de fevereiro.
Review escrita pelo colaborador Renato Conceição.

Nota do Selvageria

Gostou? Compartilhe!