A arte de ter razão

Este é um breve resumo a respeito das 38 estratagemas de Schopenhauer.

Aviso

Segue neste resumo algumas das 38 estratagemas que ensinam a você vencer qualquer debate ou discussão sobre qualquer coisa por mais que você esteja errado. É basicamente usando essas táticas que os advogados vencem os processos. Tome cuidado! As informações contidas nessa matéria não devem ser usadas sempre, pois se não, apesar de não perder um debate, você se tornará um CHATO, mas, às vezes, podem ser muito úteis. Principalmente na hora de convencer aquela pessoa chata, a qual acha que está sempre certa, de que está errada, por mais que ela esteja realmente certa.

Arthur Schopenhauer
Arthur Schopenhauer

Estratégias

São muitas estratégias, só vou falar das mais importantes porque algumas delas já usamos mesmo sem perceber como, por exemplo, partir para o lado pessoal, insultando grosseiramente seu adversário, fazendo uso de observações ofensivas a respeito do mesmo. Quem é que nunca fez isso? O próprio Schopenhauer diz: “afinal de contas, é em ganhar que você está interessado, não na verdade”.

Comprovar que algo está errado por mais que esteja certo não é muito difícil, você pode dizer que ele está certo, mas não aceitar a conclusão dele, como por exemplo: “sim, eu acertei você, mas foi porque você entrou na minha frente!” Por mais que esteja errado e seu argumento não tenha o menor sentido, tente se divertir, por mais que seja uma discussão pode se tornar algo muito engraçado. Essa eu uso muito, sempre que acontece algo, jogo a culpa para o outro, por mais que a afirmação seja ridícula e “não cole” me divirto bastante.

O principal na hora que ganhar uma discussão é se aproveitar dos erros que seu oponente argumentar, caso ele use uma prova “deficiente” seu dia está ganho basta mostrar que essa afirmação não é tão correta e generalizar para tudo que foi dito anteriormente. É dessa forma que maus advogados perdem boas causas.

Outra muito boa, é procurar semelhanças entre o que seu oponente quer comprovar com coisas ruins ou sem sentido, dizendo algo do tipo: “isso é fascismo!” ou “isso é superstição”, etc. Assim quem tiver a volta pode entender ou achar que o cara é supersticioso isso torna o argumento dele fraco.

Deixar o seu oponente nervoso fazendo comentários do tipo “um… que coisa de veado!” também ajuda, porque além de irrita-lo, não tem nada a ver com o assunto, desconcentrando-o, assim aumenta as chances dele falar algo errado, e quando ele falar se aproveite disso.

Se por fim não aguenta mais a discussão e quer acabar vitorioso ou pelo menos quer que seu oponente se sinta humilhado, apele para a autoridade ao invés da razão. Cite uma autoridade que seu oponente respeita ou idolatra que tenha a opinião contrária a dele distorcendo algo que essa autoridade tenha dito. O interesse da verdade dá lugar aos interesses da vaidade: assim, por causa da vaidade, o que é verdadeiro parece ser falso, e o falso verdadeiro.

E para acabar de vez, se não tiver ninguém com autoridade no assunto assistindo use uma objeção que faça seu oponente parecer ridículo aos olhos de quem está vendo. Assim como não a ninguém perito no assunto, não haverá nenhuma objeção a sua a não ser a dele próprio, que não será suficiente para reparar a humilhação. Até a próxima matéria Selvagem.

08/07/2012

Gostou? Compartilhe!

Higor A. Schumaker

Higor Alves Schumaker

Programador e suporte de sistemas. Aficionado por carros. Um fps ao som de Linkin Park sempre cai bem.

Contato / Mídias sociais

  • Social Media
  • Social Media